Skip to content

Os 72 melhores tweets do terceiro dia do Social Media Week de São Paulo

23/09/2011

Depois de Os 30 melhores tweets do primeiro dia do Social Media Week de São Paulo e de Os 55 melhores tweets do segundo dia do Social Media Week de São Paulo chegou a hora de Os 72 melhores tweets do Social Media Week de São Paulo. As mensagens tuitadas partiram de falas dos palestrantes ou de como estas foram interpretadas pelos participantes.

Os ótimos tweets apresentados abaixo servem para reflexão sobre os caminhos das redes sociais – não há nada de certo ou errado, afinal, estamos todos em Beta no mundo web 2.0 -, mas neste post quero destacar cinco mensagens que me chamaram a atenção: 1) @JADNEVES: A verdade é que falta, sim, proximidade das agencias/marcas com os formadores de opinião dentro da internet. Tudo ainda é muito novo. 2) @SMWSP: Redes Sociais não gostam de marcas falando, elas gostam de pessoas falando de marcas. 3) @VOICECOMUNICA: É importante criar conteúdo legítimo, de acordo com os valores da empresa. 4) @MOMARCHPHOTO: Redes sociais são diretas, lineares, não são departamentalizadas como as empresas. Isso gera atraso e choque por incompatibilidade. 5) @BobWollheim: Quando o marketing testa, pensa diferente, vive em rede e em beta, é bem bacana! // Tem risco, mas é legal.

Escolhi os cinco tweets acima, aparentemente simples, mas que resumem muito bem o cenário web 2.0.

A lista dos 72 tweets surgiu da cobertura das @’s nas seguintes palestras ministradas no terceiro dia do Social Media Week de São Paulo: Social Media + RH: Como aprender a lidar e gerenciar pessoas em tempos de mídias sociais? Quem merecer ouvir o célebre “sai do Facebook e foca no trabalho”?; Diretor, Gerente, Assistente, Estagiário: Vários níveis hierárquicos, um tema em comum. Se parece chavão dizer que as mídias sociais impactam a vida de toda a empresa, como gerenciar isso no dia-a-dia. ; Uma marca pode ser legal?: As mídias sociais reforçaram as marcas como personalidades únicas, e com toques humanos. Mas afinal, como uma empresa pode ser interessante de verdade, e fugir do “isso é só propaganda”.; Geek Economy: O que está por trás dos apps e serviços que todos usam em mídias sociais?; A Informação de Amanhã: Pra onde vai o consumo e a produção de informação, quando se mistura jornalismo, mobilidade e tecnologia. ; Desabafo Digital: Os prêmios em Cannes não vem, as ações dão menos resultado do que deveriam, a criatividade anda em baixa… O que está acontecendo com o mercado de mídias sociais, e quais os mitos que precisam ser derrubados.

Confira os tweets:

@LB_Hipolito: O contexto de desconexão consigo mesmo é refletido nas Mídias Sociais.

@resultson: Conteúdo não é o rei, apenas o assunto. A conversação sim é rei.

@resultson: Cada vez mais o mundo exige que você seja um só. Que faça o que fala e diga o que faz.

@luizinacio1: A Geração Y que já nasceu com acesso a Internet , tem menos conflito que a que já estava na ativa quando surgiu a web.

@taiscruzz: Onde tem pessoas tem oportunidade de publicidade.

@luizinacio1: “Todas as áreas que lidam com o ser humano devem se readequar” diz Andréa Jotta.

@interney: 80% dos consumidores da Intel decidem a compra baseados em informações em blogs e redes sociais.

@AndreLuiz74: Existe uma deturpação vigente de conceitos nas RS. Pessoas confundem socialização com exposição. O Facebook não é um Divã!

@nelsonassouf: pessoas tem que se adaptar as empresas ou as empresas tem que se adaptar a GeraçãoY?

@LuizInacio1: Tem de haver um lugar “no meio” para que a empresa e o funcionário Y possam se encontrar e conviver.

@serhcm: Clientização do SER humano … isso é positivo porque dá argumentos para a empresa encontrar valores e comunicar de forma clara.

@resultson: No final do dia, status e dinheiro não vão te mover, o que vai te mover é propósito e motivação.

@LB_Hipolito: Qdo vvocê está numa atividade que tenha um propósito para a sociedade e o que você faz também é significativo = MOTIVAÇÃO

@LB_Hipolito: Não necessariamente o estagiário é o expert em internet e não necessariamente o diretor da empresa sabe nada e é offline.

@luizinacio1: A superficialidade das relações pessoais vem do ser humano desconectado e não do uso das mídias sociais.

@VoiceComunica: Ainda hoje há pessoas relutantes em usar e-mails, mas devemos nos acostumar.

@Resultson: Cada vez mais o mundo exige que você seja um só. Que faça o que fala e diga o que faz

@serhcm: As redes sociais permitem que as pessoas se mostrem em mais facetas do que na vida corporativa dando um contexto mais humano.

@LauramBarbosa: As gerações são diferentes, a linguagem é diferente, mas temos que procurar a convergência e o diálogo.

@LB_Hipolito: Não importa o avanço tecnológico existente, as bases são sempre humanos x humanos.

@ICDigital: Um dos grandes dilemas que estamos vivendo é saber como filtrar os comentários focando apenas nos relevantes;

@LB_Hipolito: É verdade, algumas empresas já têm o RH Digital, que fazem busca online sobre informações dos candidatos a vagas.

@LB_Hipolito: Cuidado com os seus posts, quem você segue e o que você curte, algo indevido poderá atrapalhar na sua contratação nas empresas.

@ICDigital: A internet mudou o modo como os jornalistas buscam por fontes?

@JacksonCruz: @ICdigital Acho que mudou as referências, ficou mais “fácil” achar especialistas e contatos!

@DianaHass: As empresas acham bonito ser humanizado nas redes sociais, mas ainda assim querem ser totalmente institucional, sem ser relevante.

@AnaBrambilla: Vejo a rede social como um grande banco de fontes. A internet ajuda a encontrar personagens e histórias diferentes.

@BobWollheim: Sou boomer estou no twitter buscando experiências, não seguidores.

@tweetsdoalan: O meu amigo dizer que gostou de um produto é mais confiável que a marca falar sobre seu produto. É uma forma de diálogo.

@Voicecomunica: A visibilidade do jornalista em um perfil nas redes sociais é maior que a de um veículo.

@ICdigital: O Jornalismo Colaborativo ganha muito mais valor quando traz o cotidiano da pessoa para os meios de comunicação.

@sapatilha_. Os meios de comunicação estão passando por uma crise porque não sabem explicar a razão da sua existência na mídia.

@jacquelinee: O problema da mídia é que ela não sabe se posicionar como negócio. Falta se definir e chamar a equipe a seguir a definição.

@Telefonicanaweb: O valor na mídia é sempre uma questão meio nebulosa.

@ICDigital: A sociedade está levando a sua vida para as redes. Cabe ao jornalista ter a visão para enxergar isso na internet.

@LB_Hipolito: As marcas agora têm cara, voz e embaixador.

@JacksonCruz: O problema de certa web celebridades é que eles são bons naquele formato web, não adianta levar eles pra TV, não funciona!

@minimperativos: pq os bancos não são legais com a gente como nos comerciais?

@AgenciaEnkel: Autenticidade é igual pornografia, agente conhece quando agente vê.

@VoiceComunica: Muitas vezes quem conduz o negócio da empresa está totalmente desconectado com quem quer tornar a marca legal nas redes sociais.

@JADNEVES: A verdade é que falta, sim, proximidade das agencias/marcas com os formadores de opinião dentro da internet. Tudo ainda é muito novo.

@AndreLuiz74: A sagacidade de uma marca depende de como ela se aglutina com seu público, entendendo as necessidades e analisando as oportunidades.

@BrunoVideira: Sou do mundo jurídico e acho juridiqueis um porre! Mas publicitário tem esse publicitareis gringo que é um saco!

@DianaHass: Se o seu produto/serviço é ruim, não adianta tentar ser legal na web. As redes sociais não mentem jamais.

@VoiceComunica: Quando você pensa em rede social, não pode apenas pensar em sua rede oficial e sim nos formadores de opinião, blogueiros e nos leitores.

@CavDias: Não basta fazer propaganda marcas devem estar próximas ao consumidor e fazer parte da experiência de vida do consumidor.

@SMWSP: Redes Sociais não gostam de marcas falando, elas gostam de pessoas falando de marcas.

@VOICECOMUNICA: É importante criar conteúdo legítimo, de acordo com os valores da empresa.

@BobWollheim: Quando o marketing testa, pensa diferente, vive em rede e em beta, é bem bacana! // Tem risco, mas é legal.

@momarchphoto: Eh possível trabalhar nichos de mercado dentro das redes sociais usando inteligência de tecnologia.

@RaphaelFiga: Ter rede social usar e redes sociais são coisas diferente.

@MOMARCHPHOTO: Redes sociais são diretas, lineares, não são departamentalizadas como as empresas. Isso gera atraso e choque por incompatibilidade.

@voicecomunica: O caso Eduardo e Monica atingiu todo o Brasil. Por ele é possível perceber a força do brand content!

@momarchphoto: Empresas monitoram as mídias sociais, mas não lêem os relatórios.

@Telefonicanaweb: Se tu quer fazer um conteúdo bacana tem que gastar! Se quer que reconheçam tua marca, não pode fazer qualquer coisa.

@dualiby: O brasileiro gasta em media 10.7 horas por semana em jogos.

@caiosigaki: Cultura do brasileiro é esconder idéia com medo que roubem. Mas se você não compartilhar, vai morrer com ela.

@NatiGarcia: + de 10 bilhões de download de Apple APPs / + de 5 bilhões de downloads de Android APPs [2011}.

@SMWSP: Se você vai fazer algo e não vai conseguir sustentar, não faça.” @rosana

@ValenteFoz: Concordo plenamente, mas não só marcas…pessoas tb ! RT @resultson: “As marcas que não se arriscarem tendem a se tornarem medíocres

@sapatilha_: Conteúdo, entretenimento e experiência com a marca = Brand Content

@resultson: Depois de bem sucedido, todo mundo fala e elogia. Mas na hora de aprovar, quem está disposto a correr os riscos?

@resultson: Fazer uma ação incrível e não colocar mídia em cima para bombar é ilusão ou querer contar muito com a sorte.

@lent: A convergência que todo mundo dizia que as empresas ia fazer, o consumidor fez.

@smwSP: É muito difícil fazer um bom trabalho nas redes sociais, tem que correr riscos e tem que ser autêntico.

@momarchphoto: Desenvolvimento de APP’s descomprometido é o segredo do sucesso dos projetos vencedores.

@BobWollheim: Tem muitas vezes q a gente pensa algo, dá errado e fica melhor do que o que pensamos // #smwsp // É a anti curadoria dando certo!”

@dmi_ag: Se seu discurso só se baseia em followers, views e likes, cuidado, você está a beira do ridículo.

@LB_Hipolito: Campanha no Twitter é como tentar fazer campanha entre os seus conhecidos. Se não tiver relevância, será ignorada e você será o chato.

@momarchphoto: SAC 2.0: atendimento ao cliente + cuidadoso pq, assim como o fã eh + engajado, respostas negativas podem ser igualmente nocivas.

@momarchphoto: Mídias sociais não roubam audiência do tradicional e dos portais. Se a notícia for boa se chega nela.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 25/09/2011 22:08

    Genial a inciativa de compilar os tuítes, parabéns pela relevância desse conteúdo filtrado e agregado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: